terça-feira, 1 de abril de 2008

O estado da saúde no Pico, segundo os seus representantes


Subordinadas ao tema “Políticas de Saúde” as XV Jornadas Parlamentares do PS/Açores tiveram lugar na ilha do Pico nos dias 25 e 26 de Março.

Durante dois dias os deputados socialistas mantiveram contactos com várias entidades ligadas às áreas da saúde e da solidariedade social, tendo como convidado deste encontro o secretário regional da tutela, Domingos Cunha.

Estes trabalhos parlamentares inseridos no objectivo de conhecer in loco a realidade de todas as parcelas da região, constataram, com particular incidência nesta ilha, a “elevada qualidade infra-estrutural” dos respectivos equipamentos e dos recursos humanos ao serviço desta instituições.
Na área da acção social os deputados sustentam que apresenta “parâmetros de excelência idênticos às demais ilhas da Região”.(...)

Semanário “Ilha Maior” – 28/Março/2008


Não haverá manifesto exagero no “constataram, com particular incidência nesta ilha, a “elevada qualidade infra-estrutural” dos respectivos equipamentos e dos recursos humanos ao serviço desta instituições.”?

Será que eu percebi bem, o tema das jornadas era mesmo “Políticas de saúde”? Ou seria outro, sobre cultura, nomeadamente a ficção?

Afinal, não é relevante o que o blog Lajes do Pico denunciou em http://lajesdopico.blogs.sapo.pt/2007/10/ ?

Estes senhores, apesar de estarem no Pico, não teriam a cabeça noutra ilha… ou noutras andanças?

Ah, que saudades dos espectáculos de Rúben de Oliveira...

2 comentários:

artur xavier disse...

A referência ao Rúben Oliveira tráz-nos à memória as sessões de hipnotismo. Será que os ditos(os)políticos estavam em transe ou referiam-se a "outra" Ilha?!... Ou então tudo isto está relacionado com a camada do ozono!... Ou, ainda, tem a ver com a fábula da águia e da coruja.

Paulo Pereira disse...

Pois Artur, os espectáculos de Ruben de Oliveira eram bem mais divertidos. E muito mais inofensivos que as conclusões a que chegaram estes senhores. E assinaram em cruz os DOIS representantes do Pico ( um deles em destaque na fotografia deste artigo no Pico Azores) aí presentes?
Parece-me até que desautorizaram o próprio Carlos César que, meses antes, tinha reconhecido a necessidade de, pelos menos, uma maternidade.
Ignorou-se, também, um artigo de um grande jornalista picoense, José Gabriel Ávila, que em http://escritemdia.blogspot.com/2007/09/asade-no-pico.html tinha já denunciado esta situação.