sábado, 10 de janeiro de 2009

Por que corre o Basalto?

Faz hoje precisamente um ano que escrevi o primeiro post do Basalto Negro.

Sobre os temas que me propunha tratar, nomeadamente, ciência, ambiente, poesia, educação, política internacional, nacional ou regional, verifico, com alguma apreensão, que estes temas foram abordados de forma pouco equitativa.
Muito por culpa do deficit na saúde, transportes, “ilhas de coesão” e desigualdade de oportunidades que teima em ocorrer no Pico. Sempre foi assim, dir-me-ão, mas em pleno sec XXI, esta situação tem contornos insustentáveis, para não dizer humilhantes.

Ao longo destes meses, nunca pretendi ditar leis ou, tão pouco, ser dono da verdade, mas sim discutir ideias e debater opiniões.
Porque acredito que muitas cabeças pensam sempre melhor que duas ou três. E que todos nós temos o dever de dar a nossa modesta contribuição, na procura de soluções para o bem comum.
Desengane-se quem diz acreditar na democracia participativa e unicamente deposita o seu voto na urna, demitindo-se depois de uma postura crítica face às situações do quotidiano.
Pois todos os representantes são humanos e, como tal, têm as suas limitações.
E isto, no nosso meio, é por demais evidente.

Não sem alguma surpresa, foi-me permitido manter a caixa de comentários quase sempre aberta, fruto do elevado civismo, maturidade e boa fé existentes na nossa comunidade.
Apenas por meia dúzia de vezes, tive de eliminar comentários.
Não tanto pelo seu conteúdo, que consistia em dois ou três insultos gratuitos.
Ou sequer por acreditar que estes eram susceptíveis de ofender os visados, uma vez que a fraca articulação de ideias demonstradas, associado a um deficiente uso da língua, tornava-os simplesmente patéticos.
Eliminei-os sim, por achar que todos nós temos um caminho a percorrer e não desejar que os seus autores, daqui a uns anos, se envergonhem das mesquinhices e imbecilidades que proferiram, certamente, num momento de desespero.
Fiz aquilo que desejo que me façam, sempre que proceder de forma irreflectida.

Ao longo deste percurso, tive de aprender a editar notícias do telejornal, vídeos do you tube, tratar fotos no photoshop, inserir música ou imagens, o que sempre constituiu uma aprendizagem gratificante.
Muitas foram as peripécias e posts escritos à pressa, no intervalo de uma outra qualquer actividade, a partir de alguma reflexão feita, geralmente, durante o trajecto para a escola.
Ou então dolorosamente escritos em longas noites de insónias, às tantas da madrugada.
Cedo compreendi que quanto maior era a insónia, mais acutilante era o escrito. Por isso, prometi a mim mesmo nunca publicá-lo nesse mesmo dia. Teria sempre de revê-lo noutra altura, a fim de não ferir susceptibilidades.

Doze meses passados, é tempo de fazer uma reflexão sobre o rumo a tomar.
Que temas abordar, qual a frequência dos posts, valerá a pena continuar?
Como resposta, só me vem à cabeça o bordão que utilizei várias vezes no meu primeiro post:
Na verdade, não sei bem...

16 comentários:

Anónimo disse...

Parabéns Paulo.
Claro que vale a pena continuar.
Vale sempre a pena...e a alma do Basalto não é pequena :)
Cumprimentos

Fiat Lux

Anónimo disse...

Parabéns professor Paulo.
Cumprimentos.
Zulmiro Sarmento

Tibério Dinis disse...

Parabéns e continue em defender e denunciar as suas convicções. Como diz, estar na blogosfera é uma acto de aprendizagem constante.

Haja Saúde

Rui Pedro Ávila disse...

PAULO,
PELA FRONTALIDADE e "abertura", PELO "DAR A CARA", PELO SENTIDO CRÍTICO RIGOROSO, PELO INTERESSE PELA ILHA, SUAS GENTES E PELA "TUA TERRA", PELOS BONS MOMENTOS DE REFLEXÃO QUE PROPORCIONAS, ENDEREÇO UM CALOROSO ABRAÇO DE PARABÉNS

geocrusoe disse...

Acompanhei esta página desde o início, apresentas-te logo... já passou mesmo um ano?, nem sempre concordei, por vezes achei-te muito acutilante, deve mesmo ter sido escrito em noite muito avançada, outras vezes subscrevia quase na íntegra e nalguns casos também discordei... todavia sempre tenho passado por cá com alguma curiosidade. Parabéns Basalto Negro, certo que frequentemente dá mesmo trabalho ao blogger, mas também dá prazer haver vozes que teimam em resistir e por isso continuo neste mundo blogosférico e tu contribuir para isso.

artur xavier disse...

Tenho a sorte de ter amigos que escrevem coisas muito bonitas e que, de uma maneira ou de outra, fazem o favor de as encaminharem até nós. Escritos com frontalidade, desassombro e com amor. Com muito amor a esta Ilha a que chamamos de nossa. Com orgulho e, porque não, com vaidade?!...
"... Minha Ilha do desassossego e da inquietação. O Pico é um barco de sonho e de tormentas onde os sinos da meia-noite chovem devagar como vozes caladas de um deserto que nos persegue."
Um abraço de parabéns ao Paulo Dionísio. Outro para todos a quem, nas veias, corre basalto negro.

LB disse...

Depois deste post, não há dúvida na resposta: o Basalto corre para não solidificar... E corre muito bem! Parabéns e força para continuar a maratona!

As 3 Xixucas disse...

Parabéns pelo 1º aniversário.

Que este blog tenha longa duração!

pedro lopes disse...

Caro Paulo,

felicito-o por este primeiro ano de actividade blogosférica, e reafirmo o que outros já aqui disseram; vale sempre a pena continuar....ainda que por vezes falte tempo ou paciência, mais do que assunto.


cumprimentos

Jordão disse...

Muitos parabéns pelo primeiro aniversário, pelos excelentes post e sobretudo por defender a sua terra muito bem!

Um abraço!

Jose Augusto Soares disse...

Parabéns pelo primeiro aniversário, e votos de que muitos mais possam ser festejados.
Só quem anda nestas "lides" compreende que não é fácil manter um blogue que se pretenda "limpo", construtivo e são.
Também por isso, um abraço.

Paulo Pereira disse...

Agradeço a todos as palavras de estímulo. De facto, o Basalto Negro pretende ser um espaço livre de discussão de ideias. Não pretende consensos, até porque estes seriam impossíveis dada a temática abordada, nem tão pouco pretende fazer campanha por alguma facção em especial. O seu maior desejo é, contudo, o de bater-se por um desenvolvimento harmónico e sustentável da região onde todos nós estamos inseridos.

Rui Rebelo Gamboa disse...

Caro Paulo,

Parabéns por este teu excelente espaço, sem dúvida o ano que passou foi produtivo em termos de blogues dos Açores, muito por causa do Basalto Negro.

PS: Desculpa o atraso, mas antes tarde que nunca ;)

Juliana Couto disse...

Muitos parabéns! Força!

RPM disse...

parabéns Basalto Negro...

muitas felicidades desejo à página e ao seu autor...

abraço grande, Paulo

RPM

Anónimo disse...

Parabens meu caro patricio.
Pela amizade que sempre tive com o teu "velho", enquanto aí vivi (na Vila), sinto, por ele, o orgulho que ele sentiria se ainda por "cá andasse".
Um abraço
Haja Saúde!
Santos Madruga+