domingo, 3 de maio de 2009

Para o secretário da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, com amor

Governo investe 1,2 milhões de euros em redes wireless nas Ilhas da Coesão

O Governo do Açores vai instalar redes de comunicação por “wireless” em espaços públicos das sedes de concelho das ilhas de Santa Maria, São Jorge, Graciosa e Flores, com o objectivo de proporcionar o acesso gratuito à Sociedade da Informação e Conhecimento.(...)

O secretário da Ciência, Tecnologia e Equipamentos na Região disse, ainda, que o projecto pretende produzir efeitos positivos na rentabilização dos espaços comerciais implantados nas áreas cobertas e permitir o acesso de qualquer cidadão às tecnologias da informação e comunicação, principalmente àqueles que, por dificuldades económicas, não podem suportar as despesas de um acesso permanente no domicílio.(...)

Visa, igualmente, potenciar a rentabilização dos espaços comerciais integrados nas áreas alvo de intervenção e contribuir para a atractividade e imagem dos Açores enquanto produto turístico de qualidade, acrescentando à oferta regional a disponibilização gratuita aos visitantes do acesso.
Retirado do site do Governo dos Açores

14 Imigrantes beneficiarão do curso de Informática na ilha do Pico

A Direcção Regional das Comunidades promove a partir de quinta-feira, nas ilhas de São Miguel, Terceira, Pico e Faial, cursos livres de Língua Portuguesa (iniciação), Língua Inglesa, Informática (iniciação) e Empreendedorismo para os imigrantes residentes na Região.

Essas acções possibilitam aos imigrantes o acompanhamento do desenvolvimento tecnológico e garantir o acesso a um maior leque de oportunidades de trabalho, contribuindo para uma melhor satisfação profissional, pessoal e familiar. (...) no Pico 14 imigrantes beneficiarão do curso de Informática (iniciação).

Foto retirada de

Associando estas duas notícias, concluo, se me é permitido, que é necessário investir em wifi nas ilhas de coesão, porque estas ainda não possuem aquelas infra-estruturas.

Enquanto que as ilhas primo divisionárias (São Miguel, Terceira, Pico e Faial), não é necessário fazê-lo, pois estas infra-estruturas já foram criadas. Por exemplo, o Faial está a montar uma rede wifi para toda a ilha.

Então, passa-se à fase seguinte, a de dar formação às pessoas.

Mas, se é assim, alguém se esqueceu que ainda não há wifi nas praças do Pico. E, pode bem acontecer que os imigrantes, a quem se pretende dar formação, não tenham posses para uma assinatura da net.

Ora, conclui-se que não querendo, teimosamente, alterar o estatuto do Pico para incluí-lo nas ilhas de coesão, opta-se por distorcer a realidade, com o intuito de esta ilha encaixar, artificialmente, nos critérios primo divisionários.

Não seria preferível esquecer a triste Coesão e ir dotando as localidades com estas infra-estruturas, quer sejam do Nordeste ou das Lajes do Pico?

É que medidas discriminatórias, autistas, que ninguém entende, podem bem ser conotadas como a arrogância, autoritarismo e decrepitude dos regimes em final de ciclo.

3 comentários:

geocrusoe disse...

resta saber se esta cobertura wifi (no faial é gratuita e a minha casa está coberta) é de facto a forma mais correcta de desenvolver os açores. penso que se começa pelo mais fácil e pelo telhado. não conheço empresas, nem investimentos na economia açoriana com reflexos nos produto interno bruto deste tipo de investimentos, embora não seja contra... não será uma forma de escamotear o atraso das ilhas?

Jose Augusto Soares disse...

Até nesta matéria há filhos e enteados...mas é salutar que se faça algo. Pior é a inércia.

Defensor nº 1 disse...

Muito boa ideia: faça-se o funeral à "coesão" - enquanto o Pico não atingir o patamar de desenvolvimento das "maiores", não se estarã a dificultá-lo em vez de promovê-lo?
Para não servir de desculpa aos erros passados e presentes, também!