segunda-feira, 2 de novembro de 2009

No país dos agachadinhos



Portugal é um país sui generis. Os primatas que cá nascem andam de pé como o homo sapiens. Interiormente, contudo, quase todos vivem agachadinhos.

Basta sentirem que alguma coisa que digam ou façam os pode prejudicar na sua vidinha e zás: do peito dos bravos lusitanos salta logo o “homo agachadinhus” que trazem dentro deles.

Mas o pior de tudo é desagradar aos padrinhos.
Isso é que nunca! Jamais!
As consequências podem ser terríveis e muito duradouras.

Os sinais da má formação congénita são os seguintes:
quem devia falar, não fala;
quem devia escrever, não escreve;
quem devia opinar, não opina.
Quem devia demitir-se, não se demite.
Nem todos, contudo, sofrem do mal. (...)

In No país dos Agachadinhos de N Santos, Expresso de 31 de Outubro de 2009

2 comentários:

geocrusoe disse...

Pois o Homo agachadinhus é uma "evolução" do cruzamento das subespécies
Homo sapiens subsidodepentus e
Homo sapiens interesseirus que proliferaram em Portugal e em especial nos Açores, devido a um sistema democrático degenerado.

artur xavier disse...

Os "interesseirus" são bem piores que os "subsidodepentus". E mais perigosos! Porque os últimos dependem de candidaturas (mais ou menos)legais. Os primeiros dependem dos "amigalhaços" que se movimentam em lugares de influência.
E, assim, vamos (sobre)vivendo neste País adiado. Até um dia...