domingo, 6 de fevereiro de 2011

3 anos e 100.000 visitas após

Dizem que finjo ou minto
Tudo que escrevo. Não.
Eu simplesmente sinto
Com a imaginação.
Não uso o coração.
F Pessoa

Foto de Marco Peixoto
O Basalto Negro fez três anos no passado dia 10 de Janeiro.
Iniciou a actividade em 2008, em plena web2, a tal em que o utilizador é simultaneamente o produtor de conteúdos.

Multiplicavam-se os blogs, o youtube, MSN, os fóruns temáticos e mais tarde o facebook e as redes sociais.

A conceituada revista Time elegia como personalidade do ano: “you”.
Em Espanha convocavam-se manifestações por mensagens de telemóvel.

Por cá, tropeço acidentalmente na blogosfera picoense e fico admirado com a profusão de blogs e comentadores. Diagnosticam-se problemas e propõem-se soluções.
No calor da discussão, detectam-se alguns comentários inconvenientes. Nada, no entanto, que seja estranho a este tipo de discussões.

Insurgem-se vozes contra o modelo de transporte aéreo, a discriminação das ilhas de coesão, a saúde, o envelhecimento da população, o ILS, as luzes da pista, a falta de combustíveis no aeroporto e o plano e orçamento para a ilha.

Penso então, ingenuamente, que a net poderia ser uma ferramenta útil na congregação de opiniões dos muitos lagenses e/ou picoenses, espalhados pelos quatro cantos do mundo, que se especializaram em variadas áreas do saber e que são muito pródigos nas tertúlias de verão.

Decido, então dar a minha opinião e escrever umas linhas.

Pensei que esgotaria esta discussão em meia dúzia de posts, mas admito que me enganei redondamente.

Na verdade, esvaziada a discussão, pensava dedicar o blog à biologia.
Nomeadamente ao quelónio caretta caretta, espécie que aparece cá nos Açores e está em extinção.
Para quem desconhece, a caretta é nos muito útil pois come medusas (águas vivas) que não nos dão descanso no verão. Além disso, uma espécie duas vezes caretta enquadrava-se bem no desígnio do blog.

Pelo meio, defenderia o surgimento de uma terceira representação política pelo Pico na Assembleia, pois detectava que apenas dois representantes opinavam regularmente na imprensa local.
Interrogava-me se os restantes não se limitariam a pavonearem-se pelos corredores dos partidos.

Também pretendia esforçar-me na promoção desses locais de grande biodiversidade dos Açores que são as zonas húmidas. Aproveito para lembrar que o Dia Mundial da zona húmida foi comemorado no passado dia 2 de Fevereiro.

Na realidade, as nossas zonas húmidas não são tão ricas com as do continente, mas lá por isso não devem ser desprezadas.
Até porque sempre são as nossas zonas húmidas.
E até me interrogo se a muita bicharada que eles por lá têm não acabará também por incomodar.
Isto digo eu, que não sou especialista na matéria.
Penso também que esta distribuição assimétrica da bicharada (os continentais com muito e nós com pouco) se deve às zonas húmidas do continente ocorrerem frequentemente nas partes baixas, como os estuários.
Enquanto que as zonas húmidas do Pico ocorrerem preferencialmente nas partes altas, como o Planalto da Achada.

Faço aqui um parêntesis para dizer que o Pico ganhava se nos comparássemos mais frequentemente com ilhas da nossa dimensão. Isto uniria os picoenses, assim como nos tornaria mais ambiciosos.

Enfim, mas o certo é que, por enquanto, as caretas e as zonas húmidas, ou então as caretas nas zonas húmidas - lembrei-me agora - foram preteridas no blog pelos temas já referidos e ficaram para as calendas. Se adiantou alguma coisa ou não, na verdade não sei…

Se bem que alguns posts foram debitados em discurso na Assembleia, o que pode ser entendido como um louvor.
Para alguns, é claro.
Enquanto para outros terá sido um deslouvor, reconhecendo aqui que a opinião prévia do autor pouco interessa, ao que parece.

Deixem o Basalto ser um blog desalinhado.

Que temas tratarei no futuro e quanto tempo durará o blog? Na verdade não sei.
Aproveito também para esclarecer que o bordão “Na verdade não sei”, ocasionalmente repetido desde o primeiro post, foi plagiado aos Monty Python, pois pretendia que servisse de inspiração a este passatempo.
Por isso…

Por isso escrevo em meio
Do que não está ao pé,
Livre do meu enleio,
Sério do que não é,
Sentir, sinta quem lê!

F. Pessoa

5 comentários:

geocrusoe disse...

Pois talvez seja fora da data... mas o que conta é a intenção: Parabéns por este blog que, embora nascido fora do Pico, é um blog de defesa do Pico e filho de um picoense em qualquer parte do mundo em que esteja

artur xavier disse...

Até que a "voz" te doa... Parabéns pelo teu/nosso Basalto Negro. É, como diz geocrusoe, um blogue de defesa do Pico e filho de um Picoense. Esteja lá, onde esteja!

Anónimo disse...

Força a amigo e lembra-te do velho ditado:" Os cães ladram e a caravana passa."
Um abraço central, Faial, Pico, Terceira.
JA+

Café Puro disse...

Parabéns.
É com satisfação e admiração que sigo os blogs de qualquer outra ideologia que não aquela que nos sufoca, humilha e diminui (falo da ideologia microcefala e centralista que ALGUNS micaelenses infelizmente bem posicionados, seguem religiosamente).
Nos tempos que correm, as tertúlias já não são à mesa de um qualquer "Simpatia" ou "Mobydick", por isso são de louvar os gritos e alertas dos bloguistas locais...sobretudo do triângulo.
A força está na inclusão e união das 3 ilhas!

RPM disse...

Paulo....

Um abraço XXL desde Coimbra e parabéns....

Beijo à menina, sff!

RPM