terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Uma piscina bem coberta

(...)As piscinas que o Faial tem e as piscinas que o Pico não tem. As piscinas cobertas, com água tratada e não oriunda do oceano, as piscinas olímpicas, é destas que quero falar. O Faial tem duas: uma feita pela câmara, outra feita pelo governo.
E, talvez, sejam em demasia, a tal ponto que se pensa em entulhar uma, porque a outra bastará para as necessidades públicas faialenses. Piscinas públicas, feitas com o dinheiro público e para servir o público. Se não era preciso fazer a segunda, por que razão o governo a fez, no complexo desportivo da nova escola secundária, tal como vai fazer o novo estádio regional, no mesmo complexo?
E o Pico não tem nenhuma piscina pública, fechada, olímpica, como as ilhas, suas “parceiras de valor”, têm. Algumas, diz-se, em demasia, em vias de entulhamento.
O Pico gostava de ter, pelo menos, três, não para entulhar, mas para usar e, acreditem, ficava tão contente e “tanto contente”, como se diz por cá, se já tivessem feito, apenas, uma!!! É uma ilha mais sensata, mas mais pobre e, como diz o povo, quem é pobre, cada vez o fica mais.
(...)É o fado: no Pico, precisamos de uma piscina e outros desperdiçam-na; temos uma equipa de futebol na 2ª. Divisão e o estádio regional vai ser feito no Faial; no Pico, até as placas de inauguração do aeroporto são de plástico!!!

In Ilha Maior Última Coluna de M Tomás, 21 de Dezembro de 2007

Poderia ser um sketch do Gato Fedorento, mas não é.
Com muita pena minha é a mais pura da realidade.
Que se faz regra.
Imperturbavelmente.
Até quando?

8 comentários:

LMF disse...

Caro Paulo,
O vizinho Lajense, dá-te os parabéns por este teu blog que se prevê, pela estrutura inicial, muito interessante.
Um grande abraço.
LMF

Lc disse...

Há coisas que não se entende...
Que uma pessoa "puxe" pela sua terra, é o mais natural que existe, todos nós Açorianos pretendemos o melhor para a nossa ilha, mas acho que já é tempo de acabar com as comparações, com as guerrilhas entre ilhas. No caso do Pico, porque será que sempre que se fala de uma coisa o Faial tem de vir anexado, é alguma campanha publicitária???
Acho que sim, lutem por mais aviões, por piscinas, por hotéis, por tudo aquilo que acham que necessitam, mas deixem o Faial fora disso, nós temos os nossos problemas e tentamos lidar com eles, façam o mesmo.
Graças a este blog, tive a oportunidade de conhecer um blog sobre o Pico e os Aviões, penso que no primeiro ou no segundo mês da sua existência foi lá publicado um post na minha óptica excepcional, onde se fala da união entre as 3 ilhas do triângulo para justificar a escolha do turista que visita os Açores, recomendo a sua leitura, é de uma clarividência excepcional, infelizmente não dava muita audiência ao blog, descambou para as comparações entre ilhas, os boicotes, o mal dizer,...
Os comentários no blog dispararam de 0 para 60, infelizmente a meu ver.
Temos de mudar esta mentalidade, e promover a nossa terra, lutar sim mas sem este tipo de quezílias.
Farto-me de falar bem da Ilha do Pico no meu blog, mas cada vez mais, fico com a sensação que se calhar não o devia fazer, pois quase todos os blogs que encontro sobre o Pico, o tema favorito é falar mal do Faial.
Acreditem, assim não vamos lá...

RPM disse...

Paulo....

As piscinas de que te referes são de 25 metros e não são olímpicas! Estas devem ter 50 metros de comprimento e pelo menos 15 de largura.

A piscina da Escola Manuel de Arriaga é de 25 metros e serve para a prática de natação livre, educação física e para o clube local de natação, o Clube Naval da Horta....

O Pico terá, com toda a certeza as suas piscinas de 25 metros. No entanto´, só depois de S. Miguel construir a sua piscina olímpica de 50 metros como já está projectado há muito....

Afinal S. MIguel é a ilha MÁior!!!

Abraço amigo

RPM

artur xavier disse...

Encontramos, nos comentários anteriores, algumas afirmações sensatas. Na verdade, o Pico e os Picoenses é que têm de (Devem)lutar por tudo aquilo a que se acham com direito. Porém, os Faialenses terão de saber compreender esta amargura (Por vezes azedume)que nos vai na Alma! A tentação de comparar(?) é feita, talvez, atendendo à proximidade, ao número de habitantes, às oportunidades que só a uns são dadas, Etc. Etc. No fundo, existe um gosto amargo a injustiça que alguém, consciente ou inconscientemente, foi "semeando" ao longo de muitos anos. É que o papel da gata borralheira e do patinho feio foi e continua a ser reservado, sempre, aos mesmos. E isto cansa e isto satura!
Quem conhecer a realidade das Ilhas saberá, seguramente, que não estou a falar de coisas abstractas e ou do outro mundo.
Estamos entendidos?

Paulo Pereira disse...

Ao Ic, o seu blog é, de facto um bom exemplo sobre a promoção dos Açores. O meu aborda outras temáticas, não precisamos de ser iguais.
Sobre o aspecto de o turismo fazer sentido a nível triângulo, concordo inteiramente consigo e acho que há muitas potencialidades a desenvolver.
Relativamente à questão do bairrismo penso que ela só desaparecerá quando houver maior equidade entre os intervenientes. E menos centralismo a nível do hospital, universidade, aeroporto, secretarias, direcções regionais, etc. O novo parque desportivo e o caso “piscina” são a regra.
O álibi para este centralismo é sempre o de servir(-se) (d)as ilhas do triângulo. Assim, não se evidencia bairrismo do Faial sobre o Pico porque falta o motivo.
Ao rpm, queria agradecer a explicação sobre a piscina a entulhar ser 25 metros e não de 50. Sempre se poupa algum entulho. Mas se for preciso, como diz M Tomás, nós fornecemos a pedra.

Anónimo disse...

Meu caro patricio, desconhecia este teu blog, e felicito-te pela defesa que fazes na nossa ilha.
Os problemas de "desconfiança" em relação ao Faial, são saudaveis, pois os faialenses, igualmente se queixam e com razão, quanto às outras ex-capitais de distrito.
Os secretarios das secretarias sediadas na Horta cá não param,pois como não são de cá seguem o caminho de outros que vemos criticados em outros blogs.
Isto tudo faz-me lembrar a fabula do velho do rapaz e do burro.
Felizmente que ainda se "vai falando baixinho", apesar de muita "ameaça" encapotada que por aí vai surgido.
Acreditem. Parece impossivel mas é verdade. São o preço da democracia que nos vão impingindo.

Joaquim Amândio Santos disse...

o que é o conhecimento?

visão directa do corpo e da atitude?
prolongado caminho nem que condutor à saturação encapotada?

Vivência superficial feita de fait-divers e não de curiosa partilha sem hora nem condicionalismos marcados?

Será assim tão impossível iniciar o conhecimento na distância? julgo que não e defendo tal desiderato.


ASSIM AQUI DEPOSITO A MINHA HOMEGAEM AOS BLOGGERS, ESSES ALADOS TRANSMISSORES DE LAÇOS DE PARTILHA!

Anónimo disse...

Bem que posso dizer a este texto...realmente é verdade, em alguns casos deus dá nozes a quem nao tem dentes....
O facto do pico nao ter piscinas "olimpicas" nao advem do faial ter duas...é resultado de o pico ter três "comadres" sempre à bulha e em casa em que nao há pao, toda gente ralha e ninguem tem razao.

ass:Pires
Lutem sim para terem um hospitalzeco para nao atravessarem o canal muita vez....porque pelos vistos provoca azia