segunda-feira, 10 de março de 2008

Onde pára a coesão?

O Presidente do Governo na Assembleia Regional anunciou as seguintes medidas: (...) será implementado o apoio em 90% do custo de transporte de uma lista de produtos de origem regional das chamadas “ilhas da coesão” para as outras ilhas e o apoio em 75% no custo do transporte de flores, plantas ornamentais e de alguns frutos para o exterior(...)
(http://www.azorianos.blogspot.com/).


Delegação dos Serviços Sociais?

Não tive acesso à lista de produtos a serem apoiados, sei, contudo, que estão em causa milhões e que estes, injustamente, não chegarão ao Pico. Pois, à semelhança do alfaiate, tiraram as medidas primeiro, para depois fazerem o fato. Quero dizer que primeiro pretenderam excluir o Pico dos apoios, para depois escolherem os critérios da sua exclusão.
E que bem escolhidos que eles foram...
Qualquer terráqueo, por mais distraído que seja, apercebe-se da maior semelhança entre o Pico e as ditas “ilhas de coesão” do que com o Faial, S. Miguel e Terceira.
Tomando o Faial como exemplo, a mais pobrezinha deste grupo, reparamos que lá estão sedeadas a Assembleia Regional, um Departamento da Universidade dos Açores, duas Secretarias Regionais: Secretaria Regional da Agricultura e Florestas e a Secretaria Regional do Ambiente e do Mar, para não falar das Direcções Regionais, Hospital, entre outras.
Tudo investimento público que cria empregos e fixa gente, enfim, gera riqueza.
Como se tudo isto não bastasse, “roubam” mais uma vez o Pico (“roubar” é mesmo a palavra que se usa).
Claro que com a complacência de todos aqueles que foram eleitos para defender o Pico e já viram isto há muito tempo, mas preferem assobiar para o ar na defesa do seu “tacho” (neste caso “tacho” tem apenas um sentido figurado, pois não se relaciona com panela ou caçarola).
Haja decência!

8 comentários:

Jose Augusto Soares disse...

Tenho sérias dúvidas...que seja o Governo a ter de pagar a reparação da Matriz....mas que, de facto, a medida anunciada é quase provocatória...isso é.

Anónimo disse...

Pois de facto o Faial é que pareçe que está nas ilhas dos pobres e o Pico está bem e recomenda-se estando ao mesmo nivel de S.Miguel, pois vejamos milhões para os Capelinhos, milhões para a Casa Bensaude(biblioteca e arquivo da Horta)centenas de milhares para o Aquario Virtual,nova escola sec., mais de 20 milhões para o ordenamento do porto, mais largos minhões para fazer aumentar mais umas poucas centenas de metros na pista da horta, novas unidades hoteleiras e campo de golfe com aval do governo, etc, etc.
Pico quantos milhões temos...?...?
Pois é temos tudo somos ricos e desenvolvidos.
Temos 4 deputados como o Faial, portanto o mesmo peso politico...Será...não é o que parece.
O exemplo está ai na casa da Maricas Tomé á espera que o governo a recupere á anos para os serviços da segurança soçial, uma das promesas deste governo que ainda não vai ver luz neste mandato.
Mais exemplos não faltam por ai.

Anónimo disse...

Meu caro patricio:
O problema que levantas é da mais elementar justiça.
Não restam duvidas que os serviços terciários, nestas ilhas, actualmente, é que estão a gerar riqueza. Se o Pico até tem dificuldade em ver o Faial "a alho nu" o mesmo já não se passa com os veraneantes da fronteira que embora com cargos importantes só se lembram do Pico para passar ferias. Voces esquecessem-se que o Pico é muito alto e que por vezes a sua sombra incomoda?

Anónimo disse...

De facto dou razão ao segundo comentário, o Pico que tem o mesmo peso politico em deputados tem vindo a perder muito ao longo dos anos basta ver o orçamento anual destes ultimos anos em que o Pico tem ficado atrás do Faial em valor de investimentos.
Os deputados desta ilha os do PS deveriam reflectir e pensar sériamente no seu trabalho e colocar a mão na consciençia.

Antoino disse...

Muito bem, querem ver que as cantigas de escárnio e mal dizer, mudaram de sitio.
Já lixaram o blog -Pico e os Aviões, e agora apontam baterias para o Basalto, coitadinho, tava com pouca saída, ninguém fazia comentários, ninguém ligava peva a mais um blogzinho do Pico.
Agora sim, as audiências estão garantidas, já que o nosso amigo Rui, cancelou os comentários, os anónimos do Pico mudaram de rumo.

Caguei te Mariano disse...

quer dizer, nesse lugar de so calhau, onde queriam meter a assembleia regional, o hospital, as secretarias? Vamos supor o exemplo do Hospital, as pessoas saíam do hospital, tropeçavam nalgum calhau e la vai molho, novamente para o hospital com uma perna partida... épa, tomem consciencia que se o hospital tá no Faial e nao nesse rochedo é porque temos condiçoes pra tal... como é o caso da piscina municipal... se nos a temos e vcs nao, é porke a agua se meteria pelos calhaus abaixo... tao a ver o prejuizo que iam ter com o fornecimento de agua? o Faial ainda vos ajuda e é assim que é retribuido? Vcs ainda nos roubam horas de sol de manha e ainda têm o descaramento de dizer que o Pico é que é roubado? quem me vai me vai pagar essas horas de sol? Quer dizer, isto paga se dente por dente...

Alexandre Xavier disse...

E a Ana Clara, já apareceu por aí a dizer s........, p.....
E o nosso amigo a.x.???
E o 2wc, tá distraído ou k?
Então pessoal, vamos nos dedicar ao que sabemos fazer melhor:
Falar mal do Faial.
Cumprimentos.

Anónimo disse...

Sr basalto, quero-lhe demonstrar o meu profundo desagrado pelo seu post. O Pico só está de parabéns, isso sim, em desfrutar de tão nobre companhia: S. Miguel, Terceira e Faial.
Olhe que estas têm sangue azul, pois foram capitais de distrito. Sem bem que uns dizem que ainda o são.
Mas o Pico, o Pico...
Ah, o Pico.
O que mesmo interessa, sr basalto, não é o nome, ou mesmo coesão. O que interessa é efectivamente o desenvolvimento.
E olhe que aqui vossemecê se equivocou.
Olhe, vá até ao porto da Madalena e veja a quantidade de jovens grávidas faialenses que vem ter bebés ao Pico. Só não vê quem não quer.
Vá ao porto da Horta e atente na multidão de faialenses que tomam o barco, para vir a consultas médicas ao Pico. Só um cego não vê.
Repare nos faialenses, coitados, que vêm ao Pico apanhar o avião para outros destinos. Só quem está de má fé ou anda mesmo muito distraído, não vê.
Para não falar de quem deseja fazer compras, tratar de alguma questão administrativa ou burocrática.
Irra, sr basalto, a injustiça está sim em o Faial, S. Miguel e Terceira não continuarem a receber mais ajudas, desta vez com a desculpa da “coesão”. Sejamos honestos!
Que o Pico fique sem ajudas, já estamos habituados, mas o que será dos nossos parceiros?
Sim como conseguirão eles pagar as Portas do Mar, encher os hóteis de S. Miguel ou pagar as touradas e S. Joaninhas na Terceira?
Confesso que até me vêm as lágrimas aos olhos neste ponto e spu mesmo obrigado a terminar.
Não sem antes enviar um abraço,
do seu adversário atento
Patriota d’uns actos.