quarta-feira, 29 de julho de 2009

Mercado de transferências ao rubro com as possíveis contratações de Joana A. Dias e Ibrahimovic

Francisco Louçã acusou José Sócrates de assediar os seus jogadores. Segundo Louçã, a atleta Joana Amaral Dias terá sido aliciada para jogar a titular num cargo de Estado, caso deseje assinar contrato.

Na verdade, após a saída de Alegre, Sócrates precisa de reforçar o plantel com um avançado que possa entrosar a ala esquerda, se quiser recuperar a mística perdida no último embate.

Na nossa opinião, Sócrates tem privilegiado em demasia o jogo pelo miolo do terreno, derivando apenas para o flanco direito.

Assim, a Joana poderá ser o rosto que simboliza a necessária limpeza de balneário. Mas para isso, espera-se que tenha cultura táctica, dê o litro nas triangulações, não abuse das trivelas e, sobretudo, evite os carrinhos dos defesas adversários.

Para gáudio da massa associativa, uma jogadora deste calibre poderá muito bem resolver um jogo, nem que seja com um bom bico do meio da rua.
Espera-se, contudo, que se a atleta não quiser suar a camisola dentro do rectângulo, alguém lhe grite categoricamente “já para o chuveiro”.

Quem não se conforma com estes rodriguinhos é o Louçã, que já ameaçou fazer queixa à Federação e terá mesmo comentado que não vão fazer com o Bloco o mesmo que o Benfica fez com o Braga, no caso Jesus.

Por cá as transferências, embora mais numerosas, são menos mediáticas, uma vez que envolvem apenas jogadores regionais.

À semelhança do treinador Octávio, com o seu célebre “vocês sabem do que eu estou a falar”, cada equipa municipal terá de fazer as contratações possíveis, uma vez que não pode pagar com cargos de Estado, embora se arranje sempre umas outras quaisquer coisinhas.

3 comentários:

Anónimo disse...

Muito boa esta!
Veremos se vai dar resultado,
mas desconfio

Rui disse...

A analogia está óptima. E sem dúvida alguma que a Joana pode resolver de um momento para o outro com um bico. :D :D :D

geocrusoe disse...

O problema da aproximação e auscultação não me choca, agora se houve ofertas com uso de património não pertencente ao clube e sem as devidas autorizações dos reais donos... isso já fia diferente