terça-feira, 1 de julho de 2008

A teoria que nasceu há 150 anos matou Deus?

Em criança coleccionava besouros, ao ponto de ficar obcecado. O pai não lhe augurava grande futuro, temendo que não fosse capaz de fazer mais do que caçar ratos e besouros e desgraçasse o bom nome da família.

Não reparou que o filho desenvolvia o hábito e o prazer de observar o comportamento dos animais, que no futuro o transformaria num dos poucos homens da história a influenciar os rumos do pensamento humano. A sua obsessão pelos besouros seria substituída por outra: o estudo da origem das espécies.

Começou por cursar medicina, seguindo a tradição familiar. Mas ao ser operado a um dente sem anestesia, percebeu que errara a vocação. Abandonou o curso. Embora os rendimentos familiares lhe dessem para viver o resto da vida sem trabalhar, o distinto Robert Darwin desesperou com as “fraquezas” do filho.

Aconselhou-o a dedicar-se à Igreja Anglicana, sugestão aceite pelo jovem. Mas não gostou de ouvir dizer que a Terra foi criada às 9 horas do dia 23 de Outubro de 4004 a.C., que todas as espécies foram criadas ao longo de seis dias e que nunca sofreram mudanças.

Frequentou Cambridge e depois participou na célebre expedição do Beagle.
A 1 de Julho de 1958, Lyell e Hooker apresentaram na Sociedade Lineana de Londres um artigo de Darwin em que este defendia a evolução das espécies. Darwin ficou na sua casa de Down, de luto devido à morte de um dos filhos.

Este artigo não teve grande impacte, de tal forma que o presidente da Sociedade Lineana, ao fazer o resumo do ano de 1858, nem sequer o mencionou: “ O ano que passou não foi marcado, de facto, por alguma descoberta fantástica daquelas que revolucionam a ciência”.

Só um ano mais tarde, esta teoria torna-se tema de conversa universal, desde os cafés e salões de barbearia até aos mais bem frequentados serões culturais, quando Darwin publica o livro “ Sobre a origem das espécies”.

A controvérsia atravessou todo o século XX. Charles Darwin foi e continua a ser ponto de partida para novas ideias e teorias. E fonte ainda de muitos incómodos. Ao ponto de o Conselho Estadual de Educação do Kansas decidir, há pouco mais de oito anos, proibir o estudo da teoria da evolução nas escolas públicas do estado.

Lobbies religiosos que continuam a não suportar outras visões sobre a criação do mundo e do homem.

Baseado em dois textos do Público de 19 de Abril de 2002 e de 1 de Julho de 2008, respectivamente.

2 comentários:

geocrusoe disse...

Talvez tenha matado o deus fabricante de planetas a uma hora fixa ou de espécies a partir de sopros, mas sem dúvida ressuscitou o Deus que o homem não consegue definir, que talvez seja mesmo parte integrante deste universo que estudamos e não faça parte das mitologias

RPM disse...

Darwin não 'matou' Deus....

Darwin até veio ajudar o Mundo a compreender que a Teoria Evolucionista é uma teoria de peso e o real-cientificamente comprovado transcende tudo....

Crer/Crença é uma realidade - Ciência é outra realidade.....

Eu creio ....

RPM