quinta-feira, 18 de março de 2010

Parabéns Lajes do Pico, Parabéns Serge Viallelle e outros, Parabéns Açores

Açores entre as melhores regiões do mundo para observação de baleias e golfinhos





O jornal "The Telegraph" considera os Açores como uma das dez melhores regiões do Mundo para observação de baleias e golfinhos. O artigo destaca a possibilidade de se avistarem mais de 20 espécies de golfinhos e baleias, e que o período para melhores avistamentos decorre de Abril a Setembro. Jornal britânico apresenta ainda como melhores destinos para observação de cetáceos o Alasca, Califórnia, Islândia, Nova Zelândia, Noruega, Escócia, África do Sul e as Ilhas de Vancouver.
Notícia retirada daqui

3 comentários:

César disse...

Maravilhoso,e já agora fotos excelentes.
Um bom fim de semana a todos os que por aqui passa.

Anónimo disse...

Such a beautiful place, however not prepared to receive turism. People are not fluent in english, and not very friendy at all. You'd expect to see a quiosque or 2 in the summer to assist people. Nope. A shame.

artur xavier disse...

Ande-se por onde se andar, dêem-se as voltas que se derem, o santuário das baleias, nos Açores, passa,indubitávelmente, pelo Sul do Pico. Serge Viallelle, apesar de por vezes ser uma pessoa menos acessível (O chamado "chato"), foi um pioneiro em termos de observação de baleias e de golfinhos e as Lajes devem-lhe muito do seu desenvolvimento. Quanto ao anónimo que se expressa na língua de Shakespeare, escusava de ter tão duro e radical. Já há muita gente que domina, com maior ou menor dificuldade, o inglês e as pessoas, de uma forma geral são simpáticas e acolhedoras. Claro está que, também, dependerá muito de quem se acolhe... Existirão alguma lacunas, no atendimento, em cafés e restaurantes, mas isso ficará a dever-se a algum amadorismo ainda existente mas que, com tempo, irá sendo ultrapassado. O verão é muito curto e no inverno, além de poucos forateiros nos visitarem, os locais são cada vez menos e isso constitui um obstáculo à contratação, por parte dos empresários, de pessoal mais qualificado. Como diz o nosso Povo: Nem muito ao mar, nem muito à terra.